TEC
Teatro Experimental de Cascais

              1ª geração TEC

O TEC desenvolve desde 1965, uma actividade múltipla e variada, sendo uma das companhias de teatro, de maior longevidade a nível mundial. Interessados na procura e experimentação, apresentamos uma longa lista de autores clássicos e contemporâneos que permitem um trabalho rico e diversificado. No reportório incluem-se autores como: Lorca, Yves Jamiaque, Racine, John Osborne, Schiller, Jack Gelber, Arrabal, Mishima, Gombrowicz, Genet, Lope de Vega, Brecht, Molière, Aristófanes, Shakespeare, Büchner, Roberto Cossa, Ibsen, Philippe Minyana, Copi, Terrence McNally, James Goldman, Ronald Harwood, Moïses Kaufman, David Hare e Tennessee Williams. E António José da Silva, Gil Vicente, Torga, Miguel Rovisco, Santareno, Garrett, Camões, Alice Vieira, Jaime Rocha, Maria do Céu Ricardo, António Ribeiro (Chiado), Luiz Francisco Rebello, Maria Alberta Menéres, Gervásio Lobato, Carlos J. Pessoa, Jorge Guimarães, José Jorge Letria, Maria Estela Guedes, Júlia Nery, Fernando Pessoa e Natália Correia. 
O TEC, para além dos seus recursos humanos, tem recorrido a colaboradores externos, pautando-se sempre por critérios de qualidade e inovação.
Por aqui passaram os encenadores Victor Garcia, Artur Ramos, Rogério Paulo, Fernanda Lapa, Naum Alves de Sousa, Carlos J. Pessoa, Rogério de Carvalho e Jorge Listopad.
Colaboraram também artistas plásticos como Francisco Relógio, Almada Negreiros, Júlio Resende, Helena Reis, Fernando Alvarez, José Manuel Castanheira, Pinto de Campos, Artur Bual, João Vieira, Helena Almeida, António Palolo, Luís Pinto Coelho, José Rodrigues e Graça Morais e compositores como Carlos Paredes, António Vitorino de Almeida, Tiago Machado, Rui Rebelo, Carlos Zíngaro e Luís Pedro Fonseca, para além de muitos actores, alguns estreando-se no TEC, como Mário Viegas por exemplo.
Em conjunto com a equipa fixa, todos contribuem para que o projecto inicial do TEC, com a criação de espectáculos de qualidade, que tragam público e enriquecimento da vida cultural do país, se torne uma realidade.
Fomos muitas vezes reconhecidos com a atribuição de prémios, quer à Companhia e seus directores, quer a actores ou a artistas plásticos, a título individual.
Participámos nos festivais: XI Ciclo de Teatro Latino (Espanha), Festival Internacional de Denver, 5émes Rencontres Internationales de Théâtre pour l' Enfance et la Jeunesse, 7ª Festa Internazionale di Teatro per Ragazzi, Festival Internacional de Montevideo, Festival da Primavera (Hungria) e o 10º Festival de Bayonne entre outras participações.
A destacar as digressões internacionais a Espanha, França, Japão, Angola, Moçambique, Brasil, EUA, Itália, Uruguai e Hungria. Tendo sido Carlos Avilez quem dirigiu o Dia de Portugal na Expo'70 em Osaka, Japão, levando consigo uma comitiva de cerca de 200 artistas portugueses, entre actores, músicos, artistas plásticos e cantores.
O TEC desenvolveu o projecto "O Aluno, o Professor, o Teatro e a Escola" que, em parceria com a Câmara de Cascais, formou um público para o futuro. O projecto desenvolveu-se através da escrita de textos originais e aproveitando outros que, pelas suas características pudessem ser utilizadas com este fim. Esta actividade e ligação à Câmara deu origem à criação, em parceria, da Escola Profissional de Teatro de Cascais, há 26 anos.
A qualidade dos alunos por ela formados tem permitido fazer uma renovação permanente, o que, em conjunto com o núcleo de actores e técnicos residentes, com a experiência que lhes permite apoiar os mais novos, resulta em espectáculos enriquecedores e com energia.
Conscientes do nosso papel de agente dinamizador da vida cultural do concelho, temos por hábito disponibilizar o Teatro para iniciativas, como conferências e exposições, para além de o cedermos a outras companhias, emergentes ou já consagradas, tendo mesmo criado um festival de teatro para jovens: o mostra_T, que conta já com 3 edições.
O Espaço Memória, aberto em Cascais desde 2004, onde se pode encontrar uma parte do espólio artístico importante da companhia, bem como uma biblioteca e várias exposições temporárias; e a futura construção de um novo teatro cria-nos neste momento da vida da Companhia novos caminhos e expectativas. Sendo uma referência fundamental na vida cultural portuguesa, todas as actividades continuarão a desenvolver-se na linha criação/formação/divulgação mantendo uma grande vitalidade como resultado de um projecto artístico exigente.

Equipa

direcção | encenação Carlos Avilez
direcção | responsável Espaço Memória João Vasco 

cenografia | figurinos | programação Fernando Alvarez
desenho som surround Hugo Neves Reis  
assistência de encenação | direcção de cena Rodrigo Aleixo

direcção de montagem Manuel Amorim
montagem | contra-regra Rui Casares
operação de luz Jorge Saraiva
operação de som Hugo Neves Reis 
manutenção de guarda-roupa e limpeza Clarisse Ribeiro  

produção | comunicação Paula Fernandes
produção executiva Raul Ribeiro

assessoria jurídica Isabel Almeida
contabilidade Ana Landeiroto
secretariado Maria Marques
apoio Espaço Memória Rosa Peixoto

elenco Luiz Rizo, Sérgio Silva, Teresa Côrte-Real