programação


7 e 8 SET. | SÁB. e DOM. | 21h30
NOITE LOUCA D'AS CRIANÇAS LOUCAS de João Cachola
As Crianças Loucas/Zarco

AS CRIANÇAS LOUCAS e os ZARCO sobem ao palco para cantar os sons do rio e os ruídos da cidade monstruosa.
O concerto conta com temas originais dos espectáculos "E todas as crianças são loucas" (letras João Cachola e composição Fernão Biu e João Sala) e "LISBOAWOOD" (letras de João Cachola, composição João Cachola e ZARCO) e obras originais criadas em torno do universo d'As Crianças Loucas.

com Bruno Ambrósio, Catarina Rabaça, Cirila Bossuet, Fernão Biu, Gastão Reis, Guilherme Moura, Inês Realista, João Cachola, João Sala, Joe Sweats, Lara Matos, Lara Mesquita, Madalena Almeida, Miguel Amorim, Miguel Galamba, Pedro Santos, Raquel Oliveira, Rodrigo Tomás, Sílvio Vieira, Soraia Tavares, Vasco Batista e Vicente Wallenstein

obras em exposição de André Camaleão, António Mendes, Constança Villaverde Rosado, Henrique Netto, João Camil, Leonor Fonseca e Madalena Castro Wallenstein
produção Mariana Magalhães
comunicação Henrique Mota Lourenço
guarda-roupa Madalena Martins
design gráfico Francisco Ferreira
teaser António Mendes
técnico de som Diego Salema Reis
montagem técnica Diana Santos

classificação etária M/6 anos
duração 70 minutos


INFOS E RESERVAS reservas.criancasloucas@gmail.com | 910 752 090

BILHETES 
normal 7,50€
desconto estudantes de artes 5,00€ 


11 e 12 SET. | QUA. e QUI. | 21h30
TEMPUS criação colectiva

Qual é o verdadeiro tamanho do mundo? Para Clara e Filipe é do tamanho de uma estação de comboios. No turbilhão de despedidas e reencontros o tempo pára quando as suas vidas se cruzam e entrelaçam. Clara sonha cantar para multidões, Filipe ambiciona ser um Chef de renome, mas será que o destino tem oportunidades suficientes para os dois? Um com o outro, vão descobrir o verdadeiro significado de ter sucesso e se isso os pode manter juntos. Esta é uma história sobre escolhas, não há um certo nem um errado, só um humano.

texto Tempus, a partir de textos de Filipa Correia, Maria Ribeiro Almeida, Marta Correia, Rute Cruz
encenação Rute Cruz
assistência de encenação Joana Duran
interpretação Chris Santos, Filipa Correia, Joana Duran, João Gamory, Leonardo Vieira Marques, Maria Ribeiro Almeida, Marta Correia, Rute Cruz
movimento Joana Duran
direcção músical João Gamory
produção Filipa Correia, Maria Ribeiro Almeida, Marta Correia, Rute Cruz

classificação etária M/16 anos
duração 60 minutos


INFOS E RESERVAS tempusespectaculo@gmail.com | 918 283 314

BILHETES 
normal 7,50€
desconto estudantes de artes 5,00€ 


14 e 15 SET. | SÁB. 16h00 | DOM. 11h00 e 16h00
O MENINO CAPUCHINHO E A LOBA MÁ de Chris Santos

"Narrador: Bom dia, meninos e meninas! Estão prontos para ouvir a história do Capuchinho Vermelho? Sim? Então vamos a isso...
Tudo corre na maior das normalidades no Mundo dos Contos Encantados! E, como podem ver, no meio da floresta a colher flores para a sua avó doente, temos a nossa querida menina do capuz encarnado, a Capuchi...
Capuchinho: "A nossa querida menina..."??? "Querida menina", Senhor Narrador? Eu sou um menino! Esperava isso de toda a gente, menos de si... O que é que as pessoas vão pensar?"

O que aconteceria se o Capuchinho Vermelho fosse um menino e o Lobo Mau uma menina? Será que a história se passaria de maneira diferente? Será que o Capuchinho é que seria o mau da fita e a Loba Má seria afinal boazinha?
Será que a avózinha chegaria a ser comida pela Loba? Ou seria uma mestre das artes marciais imbatível? Ou será que o Capuchinho e a Loba até se dariam bem?
Isso é tudo o que vão poder descobrir neste maravilhoso musical baseado na história do Capuchinho Vermelho, onde assuntos tão atuais como a aceitação da diferença, o bullying, a união, o trabalho em equipa, o positivismo e a amizade são tocados de forma divertida e, ao mesmo tempo, didática.
"O Menino Capuchinho e a Loba Má" é um musical para divertir meninos, meninas e as crianças interiores de todos os mais crescidos!

autor e encenador Chris Santos
música original Pedro Antunes
actores Chris Santos e Joana França
voz-off Paulo Duarte Ribeiro
produção Marta Correia

classificação etária M/3 anos
duração 40 minutos


INFOS E RESERVAS lopes.martacorreia@gmail.com | 914 637 490
BILHETES 
normal 7,50€
crianças até aos 12 anos 5,00€


18 e 19 SET. | QUA. e QUI. | 21h30
ESTA NOITE GRITA-SE / LEITURAS INTERPRETADAS
Companhia Cepa Torta

BILINGUE de José Maria Vieira Mendes
Quando pesquisávamos sobre Bilingue encontrámos, na sinopse da encenação de Pedro Penim que subiu ao palco do Teatro Nacional D. Maria II, em 2015, a seguinte frase: "Afastemos o nevoeiro da ironia com ajuda do real. Onde está ele? O que sobrou depois da destruição?". Este é, para nós, um texto que força constantemente esta pergunta. Trata-se de um texto pós-catástrofe, fragmentado, com personagens apenas identificadas por letras, sem género definido, em que acção se passa sem indicações cénicas e que poderia ocorrer em qualquer lugar. A retórica nos diálogos lembra-nos constantemente que os significantes se afastam dos significados e que as emoções que sentimos e que tentamos descrever são, na verdade, diferentes para cada um de nós. O modo como a forma é contaminada pelo conteúdo e o cinismo presente no confronto das personagens, criam as condições para reflectirmos sobre a identidade o seu impacto no nosso tempo.

texto José Maria Vieira Mendes
direcção Miguel Maia e Filipe Abreu
i
nterpretação Filipe Abreu, João Cachola, Leonardo Garibaldi, Miguel Feraso Cabral, Patrícia Deus

classificação etária M/12 anos
duração 80 minutos


CANTIGAS DE UMA NOITE DE VERÃO de David Greig & Gordon McIntyre
Bob é um reles criminoso que ganha a vida com pequenos biscates e Helena uma advogada especializada em divórcios que não quer ficar sozinha. Bob e Helena erram pela vida quase desistindo de lhe encontrar um sentido e iniciam uma estranha relação amorosa, não porque queiram, mas porque não podem deixar de o fazer. Um golpe de Bob ao seu patrão permite-lhes então viver um fim de semana lendário, uma fugaz labareda de liberdade em que tudo pode acontecer. Misturando narração, canções e diálogos, a forma joga com o conteúdo, neste que é um texto contemporâneo negro, mas apesar de tudo redentor. E que acima de tudo é representativo de um certo teatro contemporâneo que insiste em focar-se no indivíduo e no seu desencanto perante um mundo pervertido e impessoal.

texto David Greig
canções Gordon McIntyre
tradução Pedro Marques
direcção Miguel Maia e Filipe Abreu
interpretação Filipe Abreu, Miguel Maia, Inês Lago

classificação etária M/16 anos
duração 80 minutos


INFOS E RESERVAS www.cepatorta.org/estanoite3 | estanoite@cepatorta.org | 938 537 757

BILHETES
preço único 4,00€


21 e 22 SET. | SÁB. e DOM. | 21h30
APOCALIPSE SEGUNDO ALPHA E BETA de Afonso Molinar
teatroàfaca

Apocalipse segundo Alpha e Beta trata de um mundo agonístico na qual houve uma separação total entre seres humanos altos e baixos. A acção decorre muitas gerações depois da segregação dos povos, alterando profundamente o código genético da população, potenciando assim as características físicas de uns e de outros. Já não existem pessoas "médias" integradas na sociedade. Já não existem pessoas. Só gigantes e anões, altos e baixos.
Entre os povos, a zona de guerra. Wasteland, Fallout, Ground Zero. Nada. (Pós-)Apocalipse, Ragnarök, Armageddon.

com Afonso Molinar, Bruno Soares, Filipa Correia, Gabriela Sousa, Martyn Gama, Mariana Rebelo, Raquel Santos, Rui Westermann
produção Catarina Mendes
desenho de luz Gonçalo Morais
sonoplastia João Gamory
comunicação Marta Lontrão
imagem Rita António

classificação etária M/14 anos
duração 75 minutos


INFOS E RESERVAS teatroafaca.geral@gmail.com | 915 421 554

BILHETES
normal 7,50€
desconto estudantes de artes 5,00€  


1 e 2 OUT. | TER. e QUA. | 21h30
ACABAR COM EDDY BELLEGUEULE de Édouard Louis
Berma

Procura-se a criação de um espectáculo de teatro a partir da adaptação de um romance autobiográfico que mostra os mecanismos da violência exercida a um rapaz homossexual na França profunda, ignorante, pobre. Esse rapaz, Eddy Bellegueule - "Eddy", nome escolhido pelo pai inspirado nas séries norte-americanas - é agora Édouard Louis, alguém que quer contar, mostrar, exortar à fuga como possibilidade de salvação.
Em "Acabar com Eddy Bellegueule", através da história do seu sofrimento e da estruturação da sua identidade, Édouard Louis mostra uma realidade que se auto-reproduz, gente presa a um destino que não podem traçar.
Este é um meio em que a pobreza e a falta de perspectivas - os rapazes vão para as fábricas e as raparigas para caixa de supermercado depois de abandonarem a escola precocemente - são o próprio sistema. Eddy Bellegueule cresce, encurralado, numa comunidade que lhe recorda constantemente a sua diferença. Quer através das agressões na escola ("És tu, o paneleiro?", "Olha, é o Bellegueule, a bicha") ou a violência na comunidade, em casa, não-física, das comparações com o ideal masculino ou com o estereótipo da "bicha efeminada". Logo desde o início, Eddy Bellegueule irrompeu na vida diária de Hallencourt, aldeia do norte de França, como um fenómeno raro e incompreensível. Um rapaz que deveria ser "um duro", tal como os restantes rapazes da aldeia, mas ao qual foi "diagnosticado" o "problema" logo "aos primeiros meses de vida": a voz aguda, os movimentos das mãos, o modo de andar.
Num contexto em que a homofobia e o racismo impregnam a vivência diária, e em que a violência e a humilhação são parte da vida de quem é diferente, a única hipótese é a fuga. Este também é um livro sobre uma derrota: o esgotar de todas as possibilidades de inclusão apesar de uma intensa luta exterior e interior e da admissão de que a fuga é a única escolha - e uma vitória: a de ter conseguido sair e fruir a vida em liberdade.

texto Édouard Louis
tradução António Guerreiro
encenação e adaptação Dinarte Branco
desenho de luz Feliciano Branco
figurinos Susana Moura
design gráfico João Augusto
interpretação David Esteves e Dinarte Branco
produção BERMA

classificação etária M/15 anos
duração 60 minutos


INFOS E RESERVAS bermaproducoes@gmail.com | 927 889 088

BILHETES
normal 7,50€
desconto estudantes de artes 5,00€   


3 e 4 OUT. | QUI. e SEX. | 21h30
GAME OF LIFE de Miguel Graça

Um casal, um homem e uma mulher, encontram-se. Tudo neles parece perfeito e tudo neles parece ser a perfeição das coisas. Mas o tempo passa, mesmo que não seja muito, e quando o passado começa a invadir o presente pouco ou nada pode ser feito, quanto mais o tempo avança mais eles recuam até deixarem de se ver.
Ao longo de várias cenas fragmentadas vamos assistindo à gradual decadência de uma relação, a pequenos momentos que, por muito pequenos que sejam, são capazes de destruir um grande amor.

texto e coordenação artística Miguel Graça
desenho de luz Daniel Worm d'Assumpção
produção e direcção David Esteves
produção Maria Albergaria
interpretação Adriana Moniz e Pedro Caeiro

classificação etária M/16 anos
duração 75 minutos


INFOS E RESERVAS ursopardo.geral@gmail.com | 937 501 550

BILHETES
normal 7,50€
desconto estudantes de artes 5,00€


ACONTECE NO TEC | 2019


@ TEATRO MUNICIPAL MIRITA CASIMIRO

LULU

de Frank Wedekind

13 NOVEMBRO a 15 DEZEMBRO